9. Diet-Zero-Light [Ensaio Sobre Calorias] - Cláudio Fernando Costa | Psiquiatria
slide

 

9. Diet-Zero-Light [Ensaio Sobre Calorias]

--- O quanto as calorias engordam. ---

A observação do professor durante a aula sobre nutrição pós-cirurgia suscitou o burburinho. Disse ele que a quantidade calórica a ser ingerida pelo paciente naquela situação ia perto de 4000 kcal, fracionadas durante as 24h do dia. Outro professor havia dito algo em torno de 2700 kcal para a mesma situação. E a confusão se fez. Como pode uma variação de mais de 40% na oferta calórica ser aceita com tranqüilidade? 
     Nos tempos onde as clínicas de cirurgia plástica e suas técnicas florescem junto ao aumento da incidência das psicopatologias de auto-imagem (anorexia, vigorexia) o mercado explora as possibilidades de venda e a obscuridade científica. 
     Em suas compras muitos consideram a quantidade de calorias e invariavelmente optam pelo produto com a menor pontuação, sendo esse o critério dominante na hora de decidir. Os mais cautelosos ou menos afortunados ainda têm o preço como condição para desempate na hora da escolha. 
     O valor nutricional diário recomendado para um indivíduo de 70kg é de 2500 kcal. Com um acompanhamento profissional, a dieta do leitor possivelmente oscilará em torno desse valor, levando-se em conta mais alguns fatores como a percentagem de gordura, estatura e seus objetivos pessoais. E isso é tudo o que se pode fazer.      Porém este conceito determinado por um valor padronizado convive com o conhecimento empírico popular e universalmente difundido do “ela é magra de ruim” e do “ele tem facilidade para engordar”. 
     Creio que o comportamento da caloria dentro das sutis variações dos metabolismos dos organismos é terreno pouco expugnado ainda pela ciência e muito explorado pela ignorância e pela indústria interessada. 
     Na prática, haverá indivíduos que não engordarão se aumentarem de 2500 kcal para 4000 kcal sua ingestão calórica diária. E se diminuírem de 4000 kcal para 2500 kcal não emagrecerão. È como se o excedente fosse por ralo abaixo e pronto. 
     A caloria por si só não deve ser entendida como a única responsável e culpada pelo seu peso ou sobrepeso, a tempo, a caloria é tão somente uma unidade de medida. Em analogia, considerando uma porção de argila como sendo 1 caloria não-lapidada, ou seja, não importando se essa caloria está vindo com proteína, carboidrato ou gordura e ilustrando o organismo como sendo um artesão, a obra resultante dependerá do material usado e da qualidade profissional do artista e sabe-se que para 1000 criadores, 1000 obras distintas. Os processos metabólicos de cada pessoa são únicos como cada obra manufaturada. 
     Uma mesma pessoa vai ter destinações diferentes para a “energia ingerida”, a depender, além da quantidade e da qualidade do que come, da hora em que come, da sua idade, de seus hormônios, do seu fígado, do seu cérebro, dos seus genes! 
     Por fim, o que digo é que orientar sua compra para produtos diet, light ou zero não farão você especialmente mais esbelto(a). Esse é apenas um dos fatores, o que parece mais lógico certamente, o controlável até certo ponto, o que o comércio pode explorar, mas não o determinante em grande parte das vezes. Longe disso. Essa medida pode inclusive levar a um prejuízo nutricional. Praticar exercícios físicos e observar a qualidade do que ingere, conferindo a melhor matéria-prima ao seu artesão farão do seu organismo um trabalhador mais hábil e satisfeito que criará a favor da sua saúde.  

 

Cláudio F. Costa, jul/2007 

  Deixe seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário
Tecnologia do Google TradutorTradutor