7. Ciclo das 40 horas - [Jejum Infantil] - Cláudio Fernando Costa | Psiquiatria
slide

 

7. Ciclo das 40 horas - [Jejum Infantil]

--- Seu filho come mal? ---

     Muito rotineira é a queixa de pais parcialmente preocupados que referem que seus filhos “não querem comer nada”. As idades variam. Às vezes em torno de 2 anos, por vezes aos 5 ou 8 anos. Esse é a idade onde os pais, principalmente a mãe, conseguem ter mais controle dos horários e hábitos alimentares já que as crianças ainda não conseguem obter comida por conta própria. Esse relato de consultório não reflete a realidade. As mães enfatizam e aumentam o comportamento da criança. Não é raro crianças que “não comem nada” se mostrarem inveteradas no consumo de balas, chocolates e batata frita – e esses dados surgem durante a própria consulta, desconcertando os pais . E a mãe justifica, pois já que a criança não come nada...tem que dar o que ela quiser. Bem, esse texto não é sobre reeducação alimentar mas sim sobre crianças que realmente mantêm um jejum prolongado, refutando a ingesta da quantidade esperada por 6, 12, 40 horas. E isso pode se estender por mais dias. Não há outro sinal associado – nada de febre, manchas pelo corpo ou desânimo. Exames normais. A criança retorna ou não ao médico, toma ou não um estimulador de apetite, volta a comer satisfatoriamente e bum - quando menos se espera o ciclo de jejum se repete.
     Para teorizar sobre o que eu acredito que possa explicar esse acontecimento, farei analogia com algo corriqueiro porém também sem explicação definitiva e a isso chamarei simplesmente de saturação. Todos nós já passamos pela experiência de “enjoar” de McDonalds, SubWay ou qualquer outro preparado nutricional. E também enjoamos de alguma rotina, seja a da nova prática de exercícios físicos 3 vezes por semana ou do nosso próprio trabalho e até mesmo de alguns amigos. Contudo, depois de algum tempo e naturalmente, nós apenas “dessaturamos” e voltamos ao McDonalds, SubWay, à academia e também àquele amigo1. E isso acontece para que o ciclo possa se repetir tão logo “passemos do ponto” novamente.
     Não digo que a criança tenha enjoado da sua comida mas creio que ela enjoou de comida. E isso se dá porque a criança está na fase baixa do ciclo. Pode haver algum mecanismo envolvido com secreção hormonal e desenvolvimento entremeado com alguma variação comportamental influenciada pelo ambiente, mas, se for isso, o ciclo fará com que tudo se normalize nos próximos dias. Perceba bem: os adultos também têm seus ciclos alimentares, mais camuflados e que passam despercebidos caso não façam suas refeições com suas mães ou avós.
     Respeite o ciclo do seu filho, não ofereça guloseimas e dê o tempo, afinal seu filho é como você.
 
1. Na contramão, a ingestão de Coca-cola parece ter um ponto de saturação altíssimo ou inatingível para muitos...o que faz pensar que exista aí algum outro fator envolvido no hábito do uso.

 

Cláudio F. Costa, nov/2010

  Deixe seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário
Tecnologia do Google TradutorTradutor